CORAÇÕES JUVENIS

11/04/2016 - 11:48h | | CECJ

O desejo de um mundo melhor é inerente a todas as pessoas, como um instinto que atesta a Lei Natural do Progresso, agindo constantemente na edificação da humanidade. Da mesma forma temos que entender que a juventude é o veículo dessa transição. Atender aos questionamentos do jovem é contribuir com o grande plano do Criador, a que chamamos vida.www.febeditora.com.br/coracoesjuvenis.

AS GERAÇÕES FUTURAS

As gerações futuras não serão diferentes da presente, com todos os seus defeitos e prejuízos de ordem moral, se não tratarmos da educação da infância e da juventude; dessa juventude que será a sociedade de amanhã.

Jesus disse que não se põe remendo de pano novo em roupa velha, por isso que a rasgadura se tornará maior. E, igualmente, não se põe vinho novo em odres velhos, porque estes não resistem à sua fermentação e se rompem.

É claro que o excelso Mestre se refere, nesta alegoria, à natureza do ideal que propagava, do qual era a viva encarnação. Esse ideal novo, reformador, quase revolucionário, revestido pela Terceira Revelação, deve ser anunciado, de preferência à juventude, às crianças, porquanto estes elementos representam a terra virgem, aberta à boa sementeira. Semear no meio de abrolhos e semear em terreno isento de ervas daninhas hão de dar resultados bem diversos.

As messes de uma e de outra dessas culturas, serão, por certo, distintas, dizendo por si mesmas qual delas é a mais vantajosa.

E, meus amigos, até agora, não temos feito outra coisa senão semear no meio de cardos, remendar roupa velha com pano novo e deitar o vinho espumante na vindima espírita em odres carunchentos, incapazes de suportarem a sua fermentação.

Educar é salvar, é remir, é libertar; é desenvolver os poderes ocultos, mergulhados nas profundezas das nossas almas.

A diferença entre um sábio e um ignorante; entre o bom e o mau; o santo e o criminoso; o justo e o ímpio nada mais é que o efeito da educação.

Entre aquelas que edificam e aqueles que destroem; entre os que tiram a vida do seu próximo levando por toda parte a desolação e a ruína e aqueles que dão a vida própria em prol do bem da coletividade, verifica-se, apenas, uma dessemelhança: educação na sua acepção verdadeira, que significa o harmônico desenvolvimento das faculdades espirituais. Os homens são todos iguais. A diferença entre eles não é de essência, mas de grau evolutivo determinado pela educação.

ADEILSON   SALLES

 
Rua Itambé, 575 - Ipsep - Recife - PE
(81)33394917
neas@neas.org.br