Aula 6 – Fluidos (natureza e propriedades) e Princípio Vital

Fluidos (natureza e propriedades) e Princípio Vital

Image result for fluido energia

“Há, na matéria orgânica, um princípio especial, inapreensível e que ainda não pode ser defi nido: o princípio vital. Ativo no ser vivente, esse princípio se acha extinto no ser morto. 1 Será o princípio vital alguma coisa particular, que tenha existência própria? Ou, integrado no sistema da unidade do elemento gerador, apenas será um estado especial, uma das modifi cações do fl uido cósmico, pela qual este se torne o princípio da vida, como se torna luz, fogo, calor, eletricidade?”(A Gênese, Cap.X)

APOSTILA EPM – Prog 1 – Mod 1.

Rot. 1 (Fluido)

Rot. 2 (Princípio Vital)

REFERÊNCIAS

1.KARDEC, Allan. A Gênese. Tradução de Guillon Ribeiro. Cap. X,

2.XAVIER, Francisco Cândido. Entre a Terra e o Céu. Pelo Espírito André Luiz. Cap. 28(Retorno).

3.XAVIER, Francisco Cândido & VIEIRA, Waldo. Evolução em Dois Mundos. Pelo Espírito André Luiz. Primeira parte, cap. XIII (Alma e fluidos), item: Fluido vivo.

ESCALA GEM

Aula 5 – Conduta Espírita

Conduta Espírita

Image result for conduta espírita

“Certa feita, disse o Divino Mestre: “Quem me segue, siga-me”, e, noutra circunstância, afirmou: “Quem me segue não anda em trevas.”

Reconhecemos, assim, que não basta admirar o Cristo e divulgar-lhe os preceitos. É imprescindível acompanhá-lo para que estejamos na bênção da luz.

Para isso, é imperioso lhe busquemos a lição pura e viva.

De igual modo acontece na Doutrina Espírita que lhe revive o apostolado de redenção. Quem procure servi-la, deve atender-lhe as indicações.

E quem assim proceda, em parte alguma sofrerá dúvidas e sombra. “(Emmanuel. Conduta Espírita, INTRODUÇÃO)

Apostila ESTEM, Prog II e Obra Conduta Espírita (André Luiz)

REFERÊNCIAS

1.KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo.

2.____. O Céu e o Inferno.

3. XAVIER. Chico. Conduta Espírita pelo Espírito André Luiz.

4. FRANCO. Divaldo. Leis Morais da Vida, pelo Espírito Joanna de Ângelis.

Aula 4 – Espírito, Matéria e Introdução aos fluidos (conceitos)

Espírito, Matéria e Introdução aos fluidos (conceitos)

Related image

“O veículo carnal agora não é mais que um turbilhão eletrônico, regido pela consciência.
Cada corpo tangível é um feixe de energia concentrada. A matéria é transformada em energia, e esta desaparece para dar lugar à matéria.” (Emmanuel – nos Domínios da Mediunidade – INTRODUÇÃO)

APOSTILA EPM – Prog 1 Mod 1 Rot. 1

REFERÊNCIAS

1. KARDEC, Allan. A Gênese. Tradução de Guillon Ribeiro. 46. ed. Rio de Janeiro:
FEB, 2005. Cap. VI, A Matéria. item 3, p. 107.
2. ______. Item 7, p. 109.
3. ______. As Leis e as Forças, item 10, p. 111.
4. ______. p. 111-112.
5. ______. Cap. XIV (Os Fluidos), item 2, p. 273-274.
6. ______. Item 3, p. 274-275.
7. ______. O Livro dos Espíritos. Tradução de Guillon Ribeiro. 84. ed. Rio de Janeiro:
FEB, 2003. Dos Elementos Gerais do Universo. Questão. 22, p. 58.
8. ______. Questão 23, p. 59.
9. ______. Questão 24, p. 59.
10. ______. Questão 27, p. 59-60.
11. ______. Questão 78, p. 81.
12. ______. Questão 79, p. 81.
13. ______. Questão 83, p. 82.
14. ______. Questão 88, p. 83.
15. ______. Questão 91, p. 84.
16. ______. Questão 96, p. 86.
17. ______. O Que é o Espiritismo. 50. Ed. Rio de Janeiro: FEB, 2004. Cap. II (Noções
elementares de Espiritismo – Observações preliminares), item 8 (Dos Espíritos),
p. 154.
18. DELANNE, Gabriel. A força vital. A Evolução Anímica. Trad. de Manuel Quintão.
9. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2001. Segunda parte (Os Fatos), cap. IV (O Espiritismo
Transcendental), item: Na Inglaterra, p. 185-186.
19. XAVIER, Francisco Cândido & VIEIRA, Waldo. Evolução em Dois Mundos. Pelo
Espírito André Luiz. 225. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2004. Primeira parte, cap. I
(Fluido Cósmico), item: Co-Criação em plano maior, p. 19-20.
20. ______. Item: Co-criação em plano menor.

Aula 3 – Fórum (Tormentos da Obsessão)

Fórum (Tormentos da Obsessão)

capa-04-tormentos-da-obsessao-g (1)

Estamos dando início ao novo ciclo de nosso fórum e abro escolhida foi TORMENTOS DA OBSESSÃO psicografada pelo médium Divaldo P. Franco.

Estudaremos capítulo por capítulo, formando 4 grupos onde cada qual fará suas observações sobre o capítulo e depois nos reuniremos em um só grupo para cada qual colocar suas observações e debatermos as mesmas.

Aguardamos vocês!

INTRODUÇÃO
TORMENTOS DA OBSESSÃO

A obsessão campeia na Terra, em razão da inferioridade de alguns Espíritos que nela habitam.
Mundo de provas e expiações, conforme esclareceu Allan Kardec, é também bendita escola de recuperação e reeducação, onde se matriculam os calcetas e renitentes no mal, que crescerão no rumo da felicidade mediante o contributo das aflições que se lhes fazem indispensáveis.

ÍNDICE

INTRODUÇÃO
TORMENTOS DA OBSESSÃO
CAPÍTULO 1 = ERRO E PUNIÇÃO
CAPÍTULO 2 = O SANATÓRIO ESPERANÇA
CAPÍTULO 3 = REMINISCÊNCIAS
CAPÍTULO 4 = NOVOS DESCORTINOS
CAPÍTULO 5 = CONTATO PRECIOSO
CAPÍTULO 6 = INFORMAÇÕES PRECIOSAS
CAPÍTULO 7 = A AMARGA EXPERIÊNCIA DE LEÔNCIO
CAPÍTULO 8 = INDAGAÇÕES ESCLARECEDORAS
CAPÍTULO 9 = TAREFAS RELEVANTES
CAPÍTULO 10 = EXPERIÊNCIAS GRATIFICADORAS
CAPÍTULO 11 = O INSUCESSO DE AMBRÓSIO
CAPÍTULO 12 = TERAPIA ESPECIAL
CAPÍTULO 13 = A EXPERIÊNCIA DE LICÍNIO
CAPÍTULO 14 = IMPRESSÕES MARCANTES
CAPÍTULO 15 = A CONSCIÊNCIA RESPONSÁVEL
CAPÍTULO 16 = PROVA E FRACASSO
CAPÍTULO 17 = ALUCINAÇÕES ESPIRITUAIS
CAPÍTULO 18 = SOCORRO DE EMERGÊNCIA
CAPÍTULO 19 = DISTÚRBIO DEPRESSIVO
CAPÍTULO 20 = TERAPIAS ENRIQUECEDORAS
CAPÍTULO 21 = EXPERIÊNCIA INCOMUM
CAPÍTULO 22 = LIÇÕES DE SABEDORIA

Aula 2 – O que é o Espiritismo? (2)

O que é o Espiritismo? (2)

Image result for reencarnação

Princípios básicos da doutrina espírita

  1.  A  existência de Deus.
  2. Existência e sobrevivência dos espíritos ( IMORTALIDADE )
  3. Comunicabilidade dos espíritos
  4. Pluralidade das existências (Reencarnação)
  5. Causa e Efeito ( Ação e Reação)
  6. Pluralidade dos mundos habitados

APOSTILA EPM – Fundamentação Espírita: Pontos Principais da Doutrina Espírita

Roteiro 1: Espiritismo ou Doutrina Espírita: conceito e objetivo
Roteiro 2: Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Roteiro 3: Pontos principais da Doutrina Espírita
Roteiro 4: Da perfeição moral

Aula 1 – O que é o Espiritismo? (1)

O que é o Espiritismo? (1)

Related image

“O ano de 1862 foi fértil em trabalhos favoráveis à difusão do Espiritismo. No dia 15 de janeiro apareceu a pequenina e excelente brochura de propaganda: O espiritismo na sua expressão mais simples. “O fim desta publicação”, diz Allan Kardec, “é apresentar, em quadro muito resumido, um histórico do Espiritismo e uma ideia suficiente da Doutrina dos Espíritos, para permitir ser compreendido o seu fim moral e filosófico.” (O QUE É O ESPIRITISMO – Biografia de Allan Kardec)

APOSTILA EPM – Fundamentação Espírita: Pontos Principais da Doutrina Espírita

Roteiro 1: Espiritismo ou Doutrina Espírita: conceito e objetivo
Roteiro 2: Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Roteiro 3: Pontos principais da Doutrina Espírita
Roteiro 4: Da perfeição moral

Aula 65 – FÓRUM Entre a Terra e o Céu (encerramento)

FÓRUM Entre a Terra e o Céu (encerramento)

Slide3

CAP.40 – EM PRECE

Um ano depois do casamento de Antonina, dirigimo-nos todos juntos à residência do ferroviário, na qual tantas vezes nos reuníramos entre a prece e a expectação.
A vida marchara como sempre…
Júlio e Leonardo haviam renascido em paz, quase que ao mesmo tempo, trazendo ao mundo elevados programas de serviço.
Recém-chegados à Terra, sorriam ingenuamente para nós, conchegados ao colo materno.
Amaro e Zulmira, Silva e Antonina, cônscios das obrigações que haviam assumido, prosseguiam juntos, entrelaçados na mesma compreensão fraternal.
O singelo domicílio mostrava-se magnificamente florido, superlotado de amigos sorridentes.
Lucas e Evelina celebravam os esponsais.
Nos dois planos, entre encarnados e desencarnados, tudo era esperança e alegria, paz e amor.
Os noivos fitavam-se venturosos e Odila, na função de sacerdotisa do lar, ia e vinha, pondo e dispondo na direção do acontecimento.
Entardecia, quando o juiz, com a felicidade de todos, lido o contrato de matrimônio, pronunciou o clássico “declaro-vos casados em nome da Lei.
Oscularam-se os nubentes com inexcedível afeto e vimos espantados que Odila, em muda oração, se transfigurava, coroando-se de luz. Desvelou os olhos que se nos afiguraram mais lúcidos e contemplou a filha, embevecidamente.